Blog do Gustavo

Arquivo : novembro 2014

Foco em 4 passos
Comentários 2

gustavotorres

Cena típica de final de semana: você com algo muito importante para fazer, algo que já prorroga há dias e sabe que precisa fazer. Começa, mas não consegue se concentrar. A televisão dá risadas; os vídeos no facebook atraem; as notificações no WhatsApp não param. Como manter o foco no que você está fazendo?

Estive com um pessoal trabalhando sobre essa pergunta e, em meio a discussões, post-its e muitas ideias, chegamos a um passo-a-passo do foco. É bem simples e, pelo que avaliamos, muito funcional! Seguem aí os 4 passos para o foco.

1. Tenha um tempo para o não-foco

Tirar alguns minutos para suprir toda sua necessidade por distrações e coisas não tão produtivas é essencial! Permita-se algum tempo (10 min ou 1h, depende da sua necessidade) para assistir a vídeos no Youtube, conversar com amigos e descansar numa rede. Isso ajuda a descarregar a mente das distrações que inviabilizam a concentração.

2. Determine seu objetivo

Seja “lavar as roupas”, “estudar o relevo  brasileiro” ou “escrever a redação para a aula de amanhã”, tenha um “onde quero chegar”. Sem uma meta, há grandes chances de você se perder em meio às várias coisas que quer fazer. Um objetivo claro evita que se distraia com outros objetivos. Se possível, determine também um prazo, do tipo “vou terminar isso em 2h” ou “até o final da tarde”, pois isso afasta aquele pensamento de “tenho bastante tempo, então posso enrolar”.

3. Faça uma lista com as razões que te motivam para alcançar o objetivo

Motivação é um passo essencial na preparação para o foco. A falta dela torna os afazeres chatos e culmina em distração. Por isso, é essencial ter uma lista com as razões que te motivam a fazer algo. No caso dos estudos, poderia ser algo como:

“Objetivo: estudar relevo brasileiro

Por quê?

  • Aprender geografia física de uma vez por todas
  •  Ir bem na FUVEST, pq isso cai em uns 40% das questões de geografia e eu sempre erro tudo
  •  Sentir-me satisfeito por conseguir aprender algo que nunca entendi
  •  Ser orgulho pros meus pais
  •  Ser orgulho pra mim mesmo
  •  Pode fazer a diferença entre passar na universidade ou não
  •  E entender melhor a estrutura do meu país (que, de vdd, eu não até hoje não entendo .-.)”

Isso é só um exemplo! A lista deve ser algo bem pessoal e verdadeiro, que dê uma razão de existência para seu foco. Mantenha-a a seu lado enquanto faz suas atividades.

4. Comece a fazer!

Agora é só partir para a prática! Se sentir que está perdendo o foco, vale a pena levantar, tomar uma água, fazer um alongamento e olhar de novo para lista de razões.

Mantenha o foco!

Todas as pessoas que usaram esses passos falaram que deu certo! Espero que te ajude!

Esses passos foram desenvolvidos pela galera do Descobrindo o Sonho Jovem (DSJ), na etapa em que discutimos resoluções de problemas enfrentados pelo grupo e pela sociedade.

Se também estiver com dificuldades de se concentrar no computador, leia sobre o Tabless Thursday clicando aqui (:


Como estudar fora?
Comentários Comente

gustavotorres

Um mês sem escrever! Bem feio, né? Mas tem explicação (não justificativa, mas explicação!)

O que aconteceu foi que começou a maratona de applications para os colleges,  as  universidades norte-americanas. Como o processo é bem diferente dos vestibulares brasileiros, acho que vale a pena esclarecer algumas dúvidas básicas.

1) O que tenho que fazer para passar em uma universidade estadunidense?

Ser uma pessoa interessante! Em suma, é isso. Os colleges olham seus candidatos como pessoas; é a chamada “seleção holística”. Além de provas padronizadas, as faculdades querem saber sobre as atividades extracurriculares de que você participou, prêmios que recebeu e notas que tirou na escola; pedem cartas de recomendação de seus professores e coordenadores; e exigem algumas redações para lhe conhecerem melhor, então se prepare para responder perguntas como “O que importa para você e por que?”, “Conte-nos uma história que seja essencial para sua identidade” e “qual sua palavra favorita e por que?”. Nenhum desses elementos (provas, cartas, redações) define sua entrada ou rejeição na faculdade. O todo é o que dá a resposta final. Não precisa ser gênio ou superdotado. As faculdades procuram apenas por pessoas que vão levar algo positivo para o college.

2) Como aplico?

A maioria das universidades aceita aplicações feitas pelo Common Application, uma organização que reúne todos os seus dados e permite que você escolha as universidades para as quais quer aplicar. Entretanto, algumas universidades exigem um application próprio, facilmente encontrado em seus sites.

3) Até quando posso fazer isso?

Cada universidade geralmente tem dois tipos de application: Regular Action e Early Action ou Regular Action e Early Decision.

Regular Action (RA): geralmente tem o deadline até 1 de janeiro e é o período no qual a maioria dos candidatos aplicam;

Early Decision (ED): deadline geralmente é 1 de novembro. Quem aplica ED assina um contrato de compromisso dizendo que, se passar na universidade, se inscreverá nela independentemente da resposta que receber de outras. Só quem tem MUITA certeza de que quer ir para determinada universidade aplica ED.

Early Action (EA): deadline também é 1 de novembro, mas esse tipo de application não exige o compromisso de ir para a universidade X se passar nela. A única diferença entre EA o RA é o prazo mesmo. (Aliás, eis o porquê de eu não ter escrito no blog no último mês: estive trabalhando intensamente no EA para Stanford; depois de várias noites com 2 ou 3h de sono, tudo deu certo; esperemos a resposta!)

4) Como consigo mais informações e ajuda?

Um post de blog é muito pouco para esclarecer todas as dúvidas, então deixo aqui indicadas duas referências de confiança para entender melhor sobre estudos nos EUA:

– o EducationUSA,uma organização estadunidense cujo objetivo é levar informações sobre os estudos nos EUA para o mundo todo;

– e o Estudar Fora, página criada justamente para reunir informações sobre estudos nos EUA e em outros lugares do mundo (acabou de sair um artigo bem completo aqui: http://www.estudarfora.org.br/guia-de-preparacao-para-a-graduacao-no-exterior/).

Para saber mais sobre os motivos para se graduar nos EUA, veja outro post do blog aqui.

Se tiver dúvidas, deixa aí nos comentários que eu respondo!

Espero que tenha esclarecido algumas coisas!


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>